• Tajá

Trem Desportivo Clube: formando uma base forte de craques e cidadãos

Atualizado: 22 de Abr de 2019

Clube amapaense constrói categoria de base sólida e consegue disputar competições nacionais representando o Estado.


Por Gabriel Dias


Jogar uma competição nacional é o sonho de todo jovem que tenta uma oportunidade na carreira de jogador de futebol. Graças à um trabalho que já dura cinco anos, os cerca de 28 garotos do time sub-20 do Trem Desportivo Clube tiveram a chance de mostrar seu futebol no dia 20 de março contra o Internacional de Porto Alegre pela Copa do Brasil sub-20. A partida foi disputada no Estádio Olímpico Zerão, em Macapá.



Equipe Sub-20 do Trem Desportivo Clube treina junto todos os dias há cerca de cinco anos.

Apesar do apoio da torcida, que lotou o estádio para prestigiar os garotos do Trem, a equipe amapaense acabou sendo derrotada pelo placar de 2 a 0, e foi eliminada ainda na primeira fase da competição. Agora, a equipe deverá concentrar forças no Campeonato Amapaense Sub-20, onde a equipe busca o bicampeonato.

Está foi a segunda vez que a locomotiva amapaense enfrentará o colorado em uma competição nacional em 2019. O primeiro confronto aconteceu no mês de janeiro pela Copa São Paulo de Futebol Júnior, quando os gaúchos venceram pelo placar de 4 a 0, em partida disputada na cidade de Votuporanga, interior de São Paulo.

O Trem garantiu a classificação para ambas as competições nacionais ao ser campeão do Campeonato Amapaense Sub-20 em 2018. Uma conquista que coroou o trabalho que vem sendo feito pelo clube há cerca de cinco anos, com a construção de base sólida para a equipe.


O time, que leva o nome de um dos primeiros bairros de Macapá, tem inovado ao ser o único clube de futebol do Estado a dar continuidade aos trabalhos mesmo fora do período de competições. A maioria dos clubes do Amapá desfazem suas equipes ao final dos torneios.


A presidente do time, Socorro Marinho, tem adotado uma política de valorização das categorias de base para que os jogadores formados no Trem sejam aproveitados no profissional, além de priorizar contratações de jogadores que residam no Estado do Amapá.


De acordo com o treinador da equipe, Sandro Frazão, a ideia é seguir o exemplo de grandes times brasileiros, para lapidar jovens talentos dentro do próprio clube.


“Os clubes amapaenses costumam montar equipes apenas para uma competição específica e depois os times são desfeitos, mas aqui no Trem", explicou o técnico.

"A maioria desses garotos está junto há cinco anos, treinando todos os dias, independente de estarmos disputando campeonatos"

Sonho de garoto


O jovem amapaense David Felipe, de 19 anos, retornou ao Amapá como um dos reforços do Trem para a temporada após uma breve passagem pelo Santo André, em São Paulo.


Em 2015, o lateral-direito tentou a sorte em Belém do Pará, onde passou em um teste para fazer parte da base do Desportiva, após se destacar pelo clube, o jovem passou pelas bases do Remo e do Paysandu, até conseguir uma oportunidade em São Paulo.


“É o sonho de todo garoto se tornar profissional e ter uma oportunidade em um time grande, então estou em busca desse sonho”

Outro que espera seguir o caminho do companheiro de equipe é o meio campista Gerson Neto, de 18 anos, que tenta aproveitar ao máximo à experiência vivenciada no clube. “Dentro da realidade do futebol amapaense, o Trem é o que te dá mais estrutura para se tornar um profissional, basta você ter comprometimento que as oportunidades vão surgindo. E a participação em competições nacionais é uma vitrine para gente", afirmou.


Responsabilidade social


Além do profissionalismo, a locomotiva também cumpre um papel social com os garotos que compõem a base. O Centro de Treinamento da equipe, está sempre de portas abertas para receber novos atletas que queiram tentar uma chance no time.


Sandro Frazão explica que a política do clube é não fechar as portas para ninguém, independente de talento ou posição social. “Mesmo que a gente não forme um jogador profissional, mas pelo menos um cidadão de bem a gente quer entregar para a sociedade”, destacou.


Nesses cinco anos à frente da equipe, o treinador já conhece a história de cada um dos meninos que fazem parte da base do clube.


“Nós temos garotos de diferentes lugares e condições, alguns tem melhores condições de vida, e outros que necessitam do nosso suporte. Sempre que possível nós estamos ajudando eles, e as famílias deles, seja com uma ajuda financeira, uma cesta básica ou até mesmo uma carona para vir treinar”, disse Frazão.


O treinador admitiu que o maior prazer do clube é tirar um jovem das ruas através do esporte. “Temos meninos aqui que vem de famílias humildes, que tem amigos no mundo do crime, e só de ver eles aqui todos os dias, treinando, e longe das ruas, é uma satisfação para a gente", comentou.



Fotos: José Eduardo Lima

Estrutura


Atualmente, o clube é um dos mais bem estruturado do estado do Amapá. Em um acordo com o governo do Estado, restaurou o seu ginásio poliesportivo, que além da quadra para a prática de esportes, possui dormitório para os atletas.


O Centro de Treinamento é o maior do Estado em condições para uso. É nele que os jogadores de futebol do clube treinam. Localizado na Rodovia JK, o espaço possui três campos de futebol, duas piscinas e uma área social.


História


O clube foi fundado em 1 de janeiro de 1947, sendo seus principais fundadores os ferroviários Bellarmino Paraense de Barros, Benedito Malcher, os irmãos Osmar e Arthur Marinho, Walter e José Banhos, além de outros.


O nome do clube nada mais é do que uma homenagem ao bairro onde foi fundado e a profissão exercida por seus fundadores, todos eles ferroviários. Este, por sua vez, recebeu o nome no início do século XIX. Naquela época, foram encontrados na Avenida Feliciano Coelho de Carvalho vestígios de alguns trilhos de trem, que possivelmente serviram como meio de transporte do material para a construção da cidade.


Tendo sua sede situada num dos mais importantes bairros de Macapá, o Trem Desportivo Clube já foi cinco vezes campeão amapaense. Além de possuir um invejável histórico no velho Copão da Amazônia. Foi pentacampeão de 1985 a 1989.


O Torneio Integração da Amazônia foi uma das antigas competições regionais disputadas no Brasil. Era composto por participantes dos estados do Acre, Amapá, Rondônia e Roraima. O Trem é o clube que mais vezes foi campeão entre todos os Estados com 5 títulos e em segundo lugar o Rio Branco-AC com 3.


No futebol profissional, o clube passou a enfrentar diversas dificuldades entre 1994 a 1999, afastado dos gramados, o clube ensaiou a possibilidade do seu retorno em 2001, mas preferiu esperar um pouco mais e continuou trabalhando no seu projeto de restauração do time.


334 visualizações