• Tajá

Mês de março é marcado pela celebração do dia de São José, padroeiro de Macapá

Atualizado: 13 de Abr de 2019

O Santo é visto como protetor e símbolo de fé para muitos amapaenses.

Por Tatiane Gomes e Deise Silva


No dia 19 de março, o Estado do Amapá e a capital Macapá comemoraram o dia de seu padroeiro São José. Segundo a Igreja Católica, o padroeiro representa uma figura importante diante de Deus por ter sido escolhido para ser pai de Jesus e protetor de Maria. Além disso, a personalidade de José é vista como um exemplo de homem íntegro, honesto, voltado ao trabalho e à família. Dessa forma, é considerado pela Igreja Católica um dos grandes exemplos bíblicos a ser seguido.


Duas datas comemorativas relacionadas ao mesmo santo são festejadas. No dia 19 de Março comemora-se o dia de São José, Padroeiro do estado do Amapá e da cidade de Macapá. Em 1° de Maio comemora-se o dia de São José, o operário, o trabalhador carpinteiro.

A escolha de São José para padroeiro do Estado foi instituída para atender aos fiéis devotos e acatado pelo governo através do Projeto de Lei Ordinária nº 0082/01-AL, tornando assim São José o padroeiro do Amapá.

O tema central dos louvores da festa deste ano é: "São José guarda os filhos da Amazônia, como guardastes Jesus e Maria". E o lema: "O Senhor Deus tomou o homem e o colocou no jardim do Éden, para cultivar e o guardar" (Gênesis 2:15).


fiéis em frente a Igreja São José(foto:/Luiz Felipe)

A festa de São José para sociedade ressalta a importância da família, como cita o devoto Manoel Bezerra, 60 anos: “Padroeiro das famílias, merece estar na honra dos altares porque é o pai adotivo de Jesus, cuidou da família de Nazaré, Maria e Jesus. É o santo mais próximo de Jesus, carregou Ele nos braços, ensinou o ofício da carpintaria e acompanhou parte da vida de Jesus”. Devoto desde adolescência, Manoel Bezerra salienta ainda que para ele São José representa o homem do silêncio, um chefe responsável pela família, um exemplo de bom esposo a seguir, um bom pai.


Em Macapá, a peregrinação começou no dia 25 de fevereiro e se estendeu até o dia 8 de Março. A imagem do Santo visitou estabelecimentos e famílias da região no período matutino e noturno.


Fiéis afirmam ter alcançado graças por intercessão do Santo. Dentre eles, a senhora Maria de Fátima Magalhães, 65 anos: “São José representa muita coisa para mim, primeiro porque ele faz parte da sagrada família, que já é um exemplo pra toda a família. Para cada família seguir o exemplo dele, de paciência, de trabalho, de perseverança, de fé, justiça. Era um homem muito justo. E pra mim esse é um exemplo muito grande a ser seguido. E segundo, eu sou devota mais de São José também porque eu alcancei muitas graças com ele”.

missa na igreja São José (Foto:/ Luiz Felipe)

A senhora Maria de Fátima diz ter alcançado uma graça no período que estava grávida de seu primeiro filho, já que possuía um cisto ovariano e a gestação era de risco. E ao interceder ao Santo para que tudo corresse bem na gravidez, segundo ela, o pedido foi alcançado. Para agradecer a esse milagre, ela batizou seu filho com nome de Marcio José em honra ao seu padroeiro. Como devota fervorosa acompanha e participa das celebrações e novenas em homenagem ao patrono. Diariamente agradece à Sagrada Família, (Jesus, Maria e José) por todas as bênçãos.


O novenário, considerado a festa oficial, iniciou no sábado, 9 de março, e se encerrou na terça-feira (19) dia do padroeiro, com a carreata por ruas da cidade no centro da capital.


A fé em São José


A fé no padroeiro de Macapá é um dos atos que mais pode ser notado na capital, o patrono tem um espaço especial nos principais pontos da cidade. Os fiéis costumam ser assíduos e participam frequentemente das festividades cristãs.


Para os devotos, seguir São José é sinônimo de aprendizado, pois através dele se tem a imagem de como o ser humano pode ser virtuoso. É interessante como essa fé nasce e faz com que muitos esperem por dias melhores. Exemplo disso é o  trabalhador que pede chuva ou sol ao santo, o pai de família que reza por sabedoria para guiar os filhos em bons caminhos, tem também aqueles que pedem milagres ou proteção. Nota-se que os desejos são diferentes, porém a fé é a mesma.


A devoção ao padroeiro da cidade iniciou desde o surgimento de Macapá. O rei português Dom José I teve papel fundamental para que tudo isso acontecesse, ele era devoto de São José e buscou proporcionar diversas homenagens ao santo.

Uma homenagem em forma de relíquia


Segundo as tradições católicas, a imagem fica de frente para a cidade protegendo e abençoando as famílias que aqui residem. No passado a pedra era usada como tiro ao alvo por soldados em época de guerra.


Além da imagem original há três réplicas que levam a denominação do patrono, sendo que elas podem ser localizadas em alguns pontos turísticos da cidade como a capela da Fortaleza de São José, a Catedral e a famosa Pedra do Guindaste dentro do Rio Amazonas, próximo ao trapiche.


Reza a lenda que uma grande cobra vive dentro da Pedra do Guindaste e que costuma sair para tomar água quando a maré não está tão cheia nem na Vazante. Por esse motivo, a água nunca cobriu o santo padroeiro.


Dona Dora Melquiades, 65 anos, que mora no município há cerca de vinte e três anos ainda enfatiza: "Se tirarem São José de lá, teremos problemas e a cidade vai pro fundo".


A pedra do guindaste foi inaugurada em 1958 e precisa de reparos constantes devido a erosão causada pelas águas do rio Amazonas, porém ela continua sendo um dos pontos turísticos de Macapá que contém diversas histórias que inspiram artistas e outras pessoas.


"Se tirarem São José de lá, teremos problemas e a cidade vai pro fundo"

A Igreja José: Quase 300 anos de história


A Igreja Matriz de São José foi inaugurada dia 06 de março de 1761 antes da criação oficial da vila de São José de Macapá e teve como seu primeiro vigário o padre Joaquim Pair. As homenagens ao padroeiro também podem ser observadas inclusive pelo nome da rua em que se localiza a igreja matriz, que fica ao lado da biblioteca Central Professora Elcyr Lacerda, localizada na Rua São José em frente à Praça Veiga Cabral.


A planta da igreja veio com os jesuítas europeus e a construção se dividiu em dois períodos que ficaram conhecidos como altar-mor e assembleia. Altar-mor é a área voltada para os padres e componentes que fossem participar da celebração da missa e a assembleia foi pensada como um espaço voltado para os fiéis. A Igreja começou a ser construída no ano de 1752, no século XVIII e levou nove anos para ficar pronta.


Anézia Lima, que faz parte da Comissão de Comunicação da Paróquia de São José, informou que nas pesquisas feitas pela Comissão, se percebeu que a igreja ajudou a fundar o estado devido a vinda das pessoas para a festa de São José.

Aniversario da cidade de Macapá (Foto:/Luiz Felipe)

Guarda e defensor da Igreja de Cristo: O protetor dos pescadores

São José além de ser padroeiro da cidade ainda é visto como o protetor dos pescadores. Seu perfil de homem forte e trabalhador fez com que muitas pessoas passassem a seguir suas grandes qualidades. O padre Aldenor Benjamin também reforça essas virtudes dizendo que o patrono é símbolo de devoção, justiça, compaixão e fé.

Para o padre Rafael Donneschi além de protetor dos pescadores São José representa o guarda e defensor da igreja de Cristo. O Pároco, em suas mensagens religiosas escritas para a Revista Festa de São José deste ano, declarou: “São José recebe a qualificação de 'Guarda'. A primeira vista, essa qualificação parece conceder-lhe apenas uma função sem muita importância. Ainda mais nos dias de hoje, em que se associa o termo 'Guarda'  a função  de quem fica do lado de fora apenas cuidando do ambiente para os que estão dentro realizar o trabalho mais importante. Ao chamá-lo de 'Guarda do Redentor' entretanto, não é essa a visão que a igreja tem de São José. Ele não é  um personagem secundário, mas participa efetivamente da vida de Jesus e da igreja, com uma missão específica para que o qual nenhum outro personagem bíblico estava tão preparado para desempenhar”, disse Padre Rafael.


Revista “Festa de São José”


A grande novidade dos festejos de São José deste ano de 2019 é o lançamento da primeira edição da Revista Festa de São José, que contribuirá significativamente para um registro histórico sobre a festa de São José e as informações relativas a trajetória de São José.


Mônica Nascos, jornalista, coordenadora da Pastoral de Comunicação da Paróquia de São José (PASCOM), e também diretora da redação da revista, informa que o conteúdo da revista aborda de forma breve a história da paróquia, da catedral e da igreja matriz sob olhar jornalístico e já adianta que haverá outras edições. “Ela (a revista) aborda a fé, a devoção, depoimento de devotos, orações, músicas e muitas fotografias. E além da parte religiosa a revista também aborda a questão da temática da festa que é o meio ambiente”. A jornalista ressalta ainda que o tema e o lema da festa são voltados à preservação do meio ambiente e que ela será vendida aos devotos. “Todo o trabalho da revista é um trabalho voluntário, então a gente tem o apoio dos jornalistas da UNIFAP, que entraram na Pastoral da Comunicação (PASCOM)”, diz Mônica. Ela informa ainda que além de jornalistas, a revista tem a participação de pesquisadores e doutores. “Tem mais de dez pesquisadores, também doutores e mestres estão escrevendo artigos para a revista”, afirma.


A revista inclui temas que estão atrelados não somente a religiosidade da celebração, como também atualidade. É de relevância para toda a comunidade por estar diretamente ligada ao Sínodo da Amazônia, tradicional reunião dos bispos da Igreja Católica que acontece em outubro, no Vaticano, tratando o tema Amazônia: "novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral".

estatua São José dentro da Igreja matriz (Foto:/ Tatiane Gomes)

Simbologias e Significados da Imagem do Padroeiro


O manto

O manto marrom representa a simplicidade e humildade. Está associada à profissão de carpinteiro.


A vestimenta de São José

O traje representa na cor roxa penitência, fé, paciência, confiança. O azul simboliza céu - de onde intercede pelos fiéis ou branca que indica pureza.


A maneira de olhar

O olhar para baixo, remete ao de um pai observando seu filho, amando, cuidando de sua família, e também intercedendo pela humanidade da terra.



O lírio

O Lírio reflete a pureza de seu coração, como homem obediente e temente a Deus.


São José com a criança no colo

São José, ao segurar Jesus menino no colo, retrata a proteção de um pai. A figura paterna, que acolhe seu filho adotivo, tão pequeno nos seus braços, com todo amor e carinho.


A túnica do menino Jesus

A túnica branca revela a pureza do coração do menino Jesus. O brilho dourado da veste exprime a Divindade de Jesus.


Jesus segurando o globo com a mão esquerda

O globo ressalta a grandeza do Senhor, Ele tem tudo em suas mãos.


Jesus abençoando com a mão direita

O menino Jesus com a mão assim posta traduz o amor de Deus para com o mundo, abençoando cada ser vivo.


A Música como símbolo

O trecho a seguir é uma das várias músicas populares e regionais, chamada "Pedra do Rio", composta por Osmar Junior, dedicada ao Patrono das Famílias: São José.


“Ao raiar o dia

Tinha romaria

Arraiá que festa

Era noite e dia”.

“Meu São José da beira-mar

Protegei meu Macapá

São José da beira-mar

Protegei meu Macapá”.

42 visualizações