• Tajá

Dos Quadrinhos para o Cinema: 10 anos do Universo Cinematográfico da Marvel

Por Diego Balieiro

Poster divulgação

Essa semana teremos a estreia de um dos filmes mais aguardados do ano, Vingadores Ultimato. O filme é a continuação dos acontecimentos de Vingadores Guerra Infinita, que teve uma das maiores bilheterias do estúdio. Dez anos de história e um legado de erros e acertos que a sequência vem deixando dentro do cinema.

O estúdio foi vendido a Disney em 2012 e desde então tem expandido seu universo cinematográfico. Vale ressaltar que de 2008 à 2011 os filmes eram distribuídos pela Paramount Pictures. A Universal Pictures exibiu o Incrível Hulk (2008) sendo que tem direitos de preferência de qualquer filme futuro produzido pela Marvel Studio, também vale para Sony que teve seu primeiro filme em parceria com a estúdio, Homem-Aranha de volta ao lar (2017).



O plano da Disney era colocar os seus principais heróis em apenas um filme, porém, isso já não é mais novidade, afinal já vimos isso em Os Vingadores (2012), A Era de Ultron (2015) e até mesmo em Capitão América: Guerra Civil (2016). Depois de dez anos de toda uma saga, mais de 20 filmes interligados, inúmeras cenas pós-créditos, e anos de planejamento para chegar nos acontecimentos de Ultimato, inicialmente intitulado Os Vingadores Guerra Infinita part. 2.

Dirigido pelos irmãos Russo, o enredo conta os eventos desastrosos de Guerra Infinita logo após o Titã Louco Thanos eliminar metade dos seres vivos do universo e os vingadores unirem forças para reverter os acontecimentos. A trama possui três horas de duração e está sendo muito aguardado pelos fãs.



Antes de entrarmos no universo cinematográfico, temos que voltar ao que deu origem a tudo isso, as histórias em quadrinhos, conhecidas como HQ’s. Antes de ser vendida para a Disney, a Marvel chegou a ser independente. A Marvel foi criada em 19 de fevereiro de 1961, em Nova York, tendo como fundador Martin Goodman. Posteriormente, Goodman, juntamente com o seu até então editor chefe, Stan Lee e o artista freelancer Jack Kirby, lançaram a revista “Quarteto Fantástico #1”, que foi o seu primeiro sucesso.

A história fala de heróis que tinham problemas financeiros e emocionais, diferente do que é contado hoje. Além de Lee e Kirby, outros artistas entraram para empresa como Steve Ditko, John Romita St., Don Heck e John Buscema, e escritores como Archie Goodwin e Roy Thomas, que lançaram vários personagens de grande sucesso, como Homem-Aranha, Homem de Ferro, O Incrível Hulk e os X-Men. Esses personagens tornaram a Marvel Comics uma das mais famosas empresas do gênero no mundo.

Para Tabita Vilas Boas, de 18 anos, e leitora de assídua de quadrinhos, as publicações da Marvel são muito bem elaborados, inclusive melhores que os filmes “nos quadrinhos as histórias são muito bem elaboradas e cheias de camadas, tendo inclusive espaço para personagens secundários, algo que dificilmente acontece nos filmes”.

Em entrevista, Ivan Carlo, especialista em quadrinhos e apresentador do programa Rádio Pop, da Rádio Universitária de Macapá, comenta que anteriormente a DC Comics era a primeira no ramo de heróis e colecionava grandes produções cinematográficas como o Superman (1978), enquanto a Marvel vendia seus heróis para outras empresas que não tinham recursos para produções do gênero. Ele usou como exemplo o Quarteto Fantástico (1994), de Roger Corman.


Foto do Ivan Carlo

Tudo começou a mudar com o sucesso de Blade (1998), mesmo não sendo uma produção da Marvel, os produtores começaram a ter olhos para seus heróis. Logo após surge os X-men (2000) produzido pela Fox. Com isso, o estúdio Marvel surge com a ideia de criar seu próprio universo cinematográfico, mas como criar um universo desses se seus principais personagens foram vendidos? A Marvel escolheu outro caminho: pegar os personagens secundários. Assim surgiu o Homem de Ferro, Capitão América e o Homem Formiga.

De acordo com o especialista, a Marvel foi esperta ao criar filmes intercalados, “a estratégia que eu acho genial, é uma mesma história contada em vários filmes, então quem assiste um filme vai assistir o outro e assim por diante até chegar em Guerra Infinita” e conclui “foi um negócio pensado 20 anos, não foi feito de um dia para o outro”. Podemos usar o exemplo do vilão Thanos. Sua primeira aparição veio na cena pós-créditos em Os Vingadores de 2012, então o estúdio já estava com tudo encaminhado até chegar nos acontecimentos atuais.



Foto Bianca Oliveira

Para a crítica de cinema Bianca Oliveira, que escreveu durante quatro anos para o blog Jornalismo Cultural, o maior diferencial é a forma que o estúdio utiliza e expande o seu universo trazendo novos enredos, novos personagens, além de evoluí-los, como é o caso de Capitão América, que está totalmente diferente em Guerra Civil (2016) se comparado com seu primeiro filme, O Primeiro Vingador (2011). Atualmente o personagem possui novos dilemas dentro de sua vida. A crítica também ressaltou que o seu medo de inovar é bem relativo, pois seu enredo e sua pegada é totalmente diferente o que foi apresentado nos primeiros filmes.


A Marvel oficialmente tem três arcos/fases, porém a cronologia de cada filme não segue a ordem de lançamento. Vamos simplificar, o último filme lançado pelo estúdio foi Capitã Marvel, lançado em março de 2019, e que na ordem cronológica vem após os acontecimentos de Capitão América: O primeiro Vingador. Para Bianca, um dos grandes diferenciais é a construção não linear dos filmes, porém quando assistidos em ordem cronológica ainda assim fazem sentido, algo que demonstra que o universo cinematográfico foi pensado cuidadosamente durante anos “existe um arco muito bem definido e é visível que ele foi elaborado cautelosamente durante anos. E esse é, com certeza, o maior diferencial da Marvel”.



Em questão de representatividade, não temos o que negar, as mulheres estão muito bem representadas e o estúdio vem apostando nisso. O exemplo mais atual é Capitã Marvel (2019). Temos outros exemplos conhecidos pelo público, como a Viúva Negra e as guerreiras de Wakanda. A indústria está quebrando os estereótipos que envolvem sexualização e até mesmo a fragilidade das personagens femininas. Nesse universo as mulheres estão com papéis importantes na guerra e lutam pelo o que é justo.

Continuando no tema de representatividade, não podemos esquecer do fator Pantera Negra, que possui um grande leque de personagens negros, além de ser um dos maiores filmes já produzidos em todos os sentidos, tanto que lhe deu indicação ao Oscar de melhor filme, um feito histórico para filmes do gênero. Pantera Negra dá um show em questão de cultura africana e traz consigo críticas políticas e sociais.


Como já citado, a primeira aparição de Thanos veio em Os Vingadores, no fim da primeira fase, na cena pós-créditos. Em Guerra Infinita, Bruce (Hulk) conta que Loki a mando de Thanos, foi com a pretensão de dominar a Terra. A construção do personagem veio aos poucos, o intuito da Marvel era humanizar o vilão, dar um ideal a ele, e é isso que o fã da Marvel Guilherme Santos conta em entrevista, por já ter sido bastante inserido na MCU, os fãs ficaram com uma expectativa em torno disso, de quem seria ele no universo cinematográfico, no que ele poderia fazer e até mesmo nos eventos de Guerra Infinita onde mudaria tudo. “É o que faz ele ser diferente dos outros vilões já apresentados anteriormente, ele tem uma base, uma filosofia própria em relação ao que faz e do por que faz e ser construído em algo realmente explicado”.



Depois de anos de planejamento finalmente vieram os resultados e listamos os 5 filmes mais bem sucedidos da Marvel.

1 - Vingadores: Guerra Infinita – Arrecadação total US$ 2,046 bilhões

2 - Os Vingadores – Arrecadação total US$ 1,51 bilhão

3 - Vingadores: A era de Ultron - Arrecadação total US$ 1,4 bilhão

4 - Pantera Negra – Arrecadação total US$ 1,34 bilhão

5 – Homem de Ferro 3 – Arrecadação total US$ 1,21 bilhão



O Ultimato entra no fim de uma era. Além da despedida de alguns atores de seus personagens que marcaram suas carreiras, conta com a última aparição do lendário Stan Lee. Os fãs estão empolgados e ansiosos para o filme que terá 3 horas de duração, e irá sanar as dúvidas deixadas em Guerra Infinita. Vingadores: Ultimato terá sua estreia dia 25 de abril, nos cinemas de todo o mundo.

222 visualizações