• Tajá

Caldeirada de Filhote

Atualizado: 12 de Abr de 2019

Prato é um dos mais apreciados na culinária amapaense


Por Renata Santos


O Amapá, pertencente à região norte do Brasil, tem forte influência indígena e amazônica. Por ser o estado com maior área de preservação do país, 97%, a fauna e flora são ricas e abundantes. Os rios possuem diversas espécies de pescado que são aproveitados em diferentes tipos de receitas. Uma delas é a caldeirada de Filhote: iguaria derivada da culinária paraense.

Pronto para servir

O peixe Filhote quando chega a idade adulta é conhecido como Piraíba, pesando entre 20 e 60 kg - podendo pesar 300 kg - alcançando dois metros de comprimento. Na culinária amazônica somente os filhotes da espécie são utilizados no preparo gastronômico, pois quando atingem peso igual ou superior a 20 quilogramas sua carne se torna fibrosa e menos saborosa.


A caldeirada é feita a partir de vários ingredientes agregando ao prato sabor e aroma que juntos constituem toda a sua carga identitária. Alguns utilizam o camarão rosa, o tucupi e o leite de coco incorporando ainda mais sabor a receita, mas o que não pode faltar é o pirão feito com o caldo do Filhote.


Segundo a Chef Aline Moutinho, tanto os vegetais, legumes e especiarias quanto o pescado devem estar de preferência frescos para o preparo do prato. “Ingredientes selecionados e frescos são essenciais para preparar qualquer receita, eles dão melhor sabor além de contribuir na aparência do prato que é fundamental”, ressaltou.


Comum nas casas dos amapaenses e nos restaurantes das cidades, a caldeirada de Filhote é muito apreciada sendo ela mais simples ou mais requintada. O fato é que sempre há alguém para dar dicas para não errar na hora de se aventurar na cozinha.


A cozinheira Ana Maria, de 65 anos, atuou em diversos restaurantes de Macapá e contou que para fazer uma caldeirada de sucesso é necessário disciplina.“É muito importante controlar a temperatura durante o cozimento e seguir a receita com muita atenção”, destacou.

Caldeirada levantando fervura

Tendo o peixe como principal ingrediente, a caldeirada não deixa seu valor nutricional passar em branco. De acordo com a nutricionista Gabriela Campos, a caldeirada é rica em vitaminas e proteínas. “A caldeirada é rica em proteínas que estimulam o crescimento e regenera os tecidos, contém vitaminas B1 e B2 importantes para o sistema nervoso, o apetite e os músculos; e a vitamina D que fornece cálcio e fósforo para os ossos e dentes”, afirmou.


Mas vá com calma! Ainda segundo a nutricionista, a caldeirada, por ser feita de um peixe gordo (que tem uma camada de gordura entre a carne e a pele), não é muito indicada para pessoas com problemas de fígado ou de estômago.


O prato típico que conquistou o Brasil


Um dos pratos mais tradicionais do Amapá é a caldeirada de Filhote e ela está tão enraizada no cotidiano tucuju que as pessoas não sabem dizer quando provaram pela primeira vez.


“É o prato do domingo, né?!”

Para a jovem Daniele Queiroz, o prato faz parte da sua vida, e tem a cara de um dia em família.“Eu tomo caldeirada desde sempre. Em casa, eu costumo dizer que a caldeirada é o prato do domingo. É o dia em que a gente tira pra ir na feira, comprar o peixe e os ingredientes”, afirmou.


O diferencial do prato está justamente em ser um prato típico ribeirinho, pois não leva muitos condimentos, o que acaba valorizando o sabor dos ingredientes naturais, como a chicória e alfavaca. Uma curiosidade atribuída a receita por Daniele é a de que a caldeirada cura a ressaca e ajuda a dar uma “levantada”.


A culinária amazônica, apesar de se aventurar na gastronomia contemporânea, não deixa de carregar consigo suas raízes indígenas. Tida como exótica, desperta o interesse de várias pessoas de outras regiões do Brasil. Esse é um dos principais motivos de haver tanta procura pela caldeirada de Filhote nos restaurantes da capital por quem é de fora do estado.


Faça você mesmo!


Agora que você já recebeu as orientações do nutricionista, da chef e as dicas da tia Ana, você está pronto para desbravar o ambiente da cozinha e preparar uma deliciosa caldeirada?!

Então vamos lá reproduzir a receita da Chef Aline!

Rende 4 porções.

Ingredientes 5 postas de peixe (peixe firme) 2 cebolas em rodelas 2 tomates em rodelas 2 dentes de alho picados 1 folha de chicória 1/2 pimentão em tiras 1 pimentinha verde 1 copo de vinho branco seco 1 maço de salsa picada 3 batatas em fatias médias

1,5 L de água Suco de 3 limões Sal rosa Azeite

*Ovos são opcionais*


Modo de preparo:


Seu preparo dura aproximadamente 01 hora. Primeiro faça um molho com suco de limão, alho, sal e depois reserve. Em seguida, lave as postas do peixe com limão e coloque em um recipiente com o molho pronto para temperá-lo. Deixe descansar por 30 minutos. Corte os temperos, a cebola, o alho e pimentão em tamanho médio. Depois ponha na panela com o azeite português e vinho branco para refogar. Logo após refogar, colocar os 1,5 litros de água para ferver junto as batatas. Após ferver, coloque as postas de peixe. Quando levantar fervura novamente aguarde em torno de 3 minutos, ajuste o sal se preciso, apague o fogo e estará pronto um peixe delicioso para você saborear.


Faça um pirão para acompanhar


Em uma panela coloque para ferver o caldo (o mesmo utilizado para cozinhar o peixe) e acrescente aos poucos a farinha d’água mexendo sempre para não empelotar, até formar um pirão de consistência não muito mole.


A caldeirada possui caldo fumegante bastante aromático. A intensidade da cor alaranjada varia de acordo com cada receita. Há quem utilize condimentos de mais e outros de menos. Durante seu preparo é possível notar a presença do aroma dos ingredientes em completa harmonia. É inconfundível! Enquanto o cheiro do preparo desperta a fome dos distraídos, aqueles que o aguardam pacientemente não veem a hora de o desfrutar com fervor.


Na boca chega a ser quase indescritível a sensação, é uma verdadeira experiência sensorial, com texturas moldando sabores. Junto ao pirão, acompanhante da caldeirada, pode ser servido como guarnição o arroz com jambu, castanha-do-pará, tucupi e pimenta tornando o prato ainda mais apetitoso.


Tá esperando o que para se jogar nessa receita? Aproveite o período da Quaresma e vá sem medo para a cozinha!



270 visualizações